JESUS TE AMA COMO NINGUÉM POIS ELE É TEU SALVADOR

HÁ TEOLOGIA NA ATUAL LITERATURA? Continuação...



No Primeiro Livro da Bíblia, Gênesis, há um relato (narrativa) canônico da Criação do Mundo e do Ser Humano. Neste relato bíblico, o escritor sagrado nos conta que DEUS (Elohim>hebraico) criou (Bara>heb.) todas as coisas que há nos céus e na terra, em especial a criatura humana à sua Imagem e Semelhança. Ele não diz quais motivos que DEUS teve ao trazer à existência este nosso Mundo: simplesmente nos apresenta a Verdade de que tudo veio de DEUS e não como produto do acaso ou de uma evolução neutra sem a presença de um Agente Pessoal. O relato e descrição do Pentateuco é simples, poético e litúrgico.

Já o Novo Testamento, principalmente o Evangelho de João, Revela que o Verbo Divino, o Filho de DEUS, foi o Agente de tal Obra de Criação. Ainda aqui, não há uma descrição mais minuciosa e dos motivos do que o da Torá.

Na Epopeia Enuma Elish, a Cosmogonia (a Origem do Mundo e do Homem) é pobre, grotesca, mesquinha, e confusa. Porém, nos conta que os Motivos foi em razão de uma briga homicida de família...

Já no Livro Silmarillion, de J.R.R.Tolkien, o mesmo autor do livro o "Hobbit", livro que também virou Filme, e está sendo lançado nos cinemas brasileiros a partir deste mês, há não uma descrição Cosmogônica do Mundo e do Homem, mas a plausível Forma e Motivos pelos quais esta Obra de Criação veio a existir: a Forma é um cântico angelical (por meio do Verbo Cantado); e os Motivos está numa sinfonia e arranjo que um poderoso angélico fez sair da harmonia celestial, mas que foi controlado pelo SER que é indescritível e governa todas as coisas... Tal simbologia e poesia, encontra expressão também na tinta de C.S.Lewis, em suas Crônicas de Nárnia, no livro o "Sobrinho do Mago": Aslam, por meio da Música (Forma), canta uma nota indescritível e melódica, o qual faz surgir formas de vidas e a matéria deste mundo... Também, aqui, há a presença de uma ser "Angélico" que traz certa desordem...

Tal temática: Ordem e Desordem, Caos e Forma, com a presença de um elemento de algo que é estranho, o Angélico obscuro das trevas. É mantida explícita e implicitamente no Gênesis, no Enuma Elish, e na atual literatura de Tolkien e de Lewis.